Brasil é o país que mais chama a atenção de profissionais de comunicação pelas fake news

4 marzo, 2020

Levantamento faz parte da pesquisa Latin American Communication Monitor 2018 – 2019, que teve como principal parceiro nacional a Aberje, destacando os desafios e tendências no campo de comunicação dentro de um contexto global

Qual o impacto das fake news no ambiente de trabalho? E como identificá-las? Questões como essa, assim como tendências que impactam o campo da comunicação estratégica das organizações, foram abordadas em um minucioso trabalho de pesquisa realizada com profissionais da área. O relatório especial produzido pela Aberje, lançado no Brasil, traz o recorte sobre como o brasileiro, que representa 25% da amostra obtida na edição LCM – Latin American Communication Monitor 2018-2019, vem lidando com os desafios do universo corporativo.

Os dados deste estudo contribuem para a construção de um panorama comunicacional brasileiro, que inclui desde aspectos contemporâneos, de tendências e estratégias, até questões culturais, de liderança e de confiança. Lidar com a velocidade e o volume do fluxo de informação, acompanhar a evolução digital e a web social e lidar com a demanda de maior transparência e públicos mais ativos são, de acordo com a pesquisa, os principais temas a serem explorados nos próximos três anos.

Fake News

A maioria dos entrevistados na pesquisa exerce cargo de liderança e trabalha em agências de comunicação ou empresas estatais. As mídias sociais são citadas por 60% dos comunicadores como as principais fontes das notícias falsas. Já em 28% das publicações, foram os meios de comunicação de massa que divulgaram as notícias falsas. Essas notícias estavam relacionadas aos produtos e/ou serviços em 35% dos casos, às pessoas da organização em 33%, e às organizações e/ou marcas em 28%. Dos 81% que têm acompanhado o debate acerca do assunto, 31% não julgam o tema como relevante em seu trabalho diário.

Tem-se que 76% dos comunicadores acredita que a esfera pública brasileira é influenciada por fake news. O curioso é que 51% dos entrevistados afirma que as notícias falsas não são relevantes em seu trabalho diário de comunicação (entre neutro e discordo totalmente). Nesse ponto, a pesquisadora da equipe LCM Brasil Patrícia Pérsigo, analisa o fenômeno em grande medida influenciando a esfera pública, “porém, no dia a dia da comunicação empresarial, apenas 49% o apontam como um tema relevante”. Nesse mesmo sentido, prossegue, dados da pesquisa da Aberje sobre fake news, divulgada em 2018, apontam que 67% das organizações ouvidas na época não consideravam as notícias falsas um tema estratégico, ao passo que 85% estavam preocupadas com o fenômeno.

Por outro lado, 19% dos profissionais afirma estar implantando diretrizes e rotinas formais para combatê-las, assim como outros 13% argumentam estar desenvolvendo planos específicos para tratar da questão, e 7% assinalam ter instalado sistemas e tecnologias específicas para tal. “Percebe-se aqui que 39% dos comunicadores atuam de alguma forma na antecipação à ocorrência das fake news, e, na ponta contrária, tem-se 11% alegando não ter necessidade de desenvolvimento de qualquer ação nesse sentido”, compara Patrícia.

Notícias originais : Aqui!

¡Compartí este articulo!

> Regresar a noticias <

Suscríbete al LCM News

Ingrese su correo electrónico para recibir notificaciones sobre noticias, descargas gratuitas, publicaciones, etc.

Informes LCM

  • LCM
  • LCM
  • LCM
  • LCM
  • LCM

Sobre el LCM

El Latin American Communication Monitor (LCM) tiene por objetivo contribuir al desarrollo disciplinar y profesional en COMUNICACIÓN ESTRATÉGICA Y RELACIONES PÚBLICAS, evaluando las tendencias y cambios que se están produciendo. Desde 2013, la investigación ha visibilizado sistemáticamente la función de los comunicadores de habla hispana y portuguesa en el mundo, empoderando así a los profesionales dentro de sus organizaciones, al igual que a las asociaciones del sector dentro de su entorno social. Cumpliendo con los más altos estándares académicos, una red de investigadores de las 26 más prestigiosas universidades configura el marco del estudio sobre teorías y resultados de investigaciones científicas internacionales de primer nivel.

Organiza

  • LCM

Patrocinan

  • LCM
  • LCM
  • LCM

Apoyan

  • LCM
  • LCM
  • LCM
  • LCM

GLOBAL COMMUNICATION MONITOR

Esta investigación junto al European Communication Monitor, el Asia - Pacific Communication Monitor y el North American Communication Monitor conforman el Global Communication Monitor que dirige el Prof. Dr. Ansgar Zerfass (Leipzig University, Alemania): el mayor y más prestigioso estudio mundial, con 15 años de antigüedad, resultados de más de 80 países y 30 mil profesionales participantes.